Our_Lady_of_Good_Counsel_by_Pasquale_SarulloA invocação de Nossa Senhora do Bom Conselho, segundo a tradição secular e devoção popular, é das mais antigas da cristandade. Tanto que acabou sendo incluída na Ladainha Lauretana, pelo Papa Pio IX. 

A primeira igreja dedicada à esta invocação foi construída na Itália, no século IV, na cidade de Genazzano. A cidade, que possuía um templo pagão dedicado à Vênus, foi doada ao Papa São Marco, em 336, pelo imperador, quando a religião cristã fora liberada em todo o Império Romano. No mesmo ano este Papa mandou erguer uma igreja dedicada à Nossa Senhora do Bom Conselho, no lugar do templo pagão, e designou o dia 25 de abril para a data de sua festa oficial.

Os séculos se passaram, a Senhora do Bom Conselho sempre foi muito honrada pelo povo de Genazzano e das regiões vizinhas, naquela pequena igreja da colina. No ano 1356 ela foi entregue à guarda dos freis agostinianos. 
A verdade é que a igreja ficou abandonada à própria sorte. Foi quando uma viúva chamada Petrucia de Geneo, por devoção à Maria, decidiu tomar a frente do projeto para construir um novo templo naquele local. Embora Petrucia tivesse disposto de todos seus bens, não conseguiu arrecadar recurso nem junto ao povo, nem junto ao clero.

No dia 25 de abril de 1467, ao invés de homenagear Nossa Senhora do Bom Conselho, a população de Genazzano participava de uma feira pública no centro da cidade. Num certo momento uma nuvem baixa atravessou a cidade, pousando no alto da colina, junto a igreja abandonada. Neste instante os sinos das igrejas começaram a tocar sem qualquer ajuda. Todos então foram lá para saber o que era aquilo, inclusive Petrucia. Notaram que no lugar da nuvem havia um belo e fino quadro de Nossa Senhora do Bom Conselho.

Intrigados começaram a perguntar entre si como poderia ter acontecido aquilo. Neste instante dois forasteiros saíram do meio do povo, e se apresentaram como Solavis e Georgi, dizendo que eram albaneses da cidade de Scutari, e contaram porque estavam alí e como chegaram.

A Albânia estava sob o domínio dos turcos muçulmanos há algum tempo e a cidade de Scutari era a única a impor resistência. Os habitantes eram cristãos devotos de Nossa Senhora do Bom Conselho, a qual veneravam no Santuário dedicado à Ela e que abrigava um afresco milagroso. Dias atrás percebendo que não poderiam mais resistir, foram ao Santuário e em oração e pediram conselho à Virgem sobre como fazer para manterem sua fé católica, nesta situação tão difícil. Nesta noite, para assombro dos albaneses a imagem da Virgem se desprendeu da parede e elevando-se pelos céus colocou-se sobre uma nuvem e começou a se trasladar lentamente para o oeste. Os dois puderam segui-la, cruzar o Mar Adriático alcançando a Itália, até chegarem àquela cidade, onde a imagem pousou na antiga e inacabada igreja, indicando que aquele seria seu refugio e dos seus devotos albaneses. 

O povo de Genazzano entendeu a aparição e a mensagem de sua Padroeira. Todos os outros albaneses refugiados foram acolhidos com suas famílias, porque eram muitos os seguiram Nossa Senhora de Scutari. Logo curas e graças começam e foram atribuídas à imagem do quadro. A notícia chegou ao então Papa Paulo II, que mandou uma comitiva de clérigos para constatar a veracidade dos milagres por intercessão de Nossa Senhora do Bom Conselho. 

Nesta ocasião a igreja estava praticamente concluída graças ao empenho do povo que recobrara a devoção na sua Padroeira. Sob a guarda dos freis agostinianos, o local tornou-se um Santuário mariano, sempre repleto de devotos que desejam venerar o milagroso quadro da Virgem Maria, que continua intercedendo pelos milagres junto à Deus. Nossa Senhora do Bom Conselho é também a Padroeira da Província Jesuíta do Brasil Central.